Posted on February 16th, 2016

Microgeração distribuída: como os sistemas solares permitem que você use energia da rede pública de graça

Microgeração distribuída: como os sistemas solares permitem que você use energia da rede pública de graça

Sistemas de geração de energia solar são eficientes, silenciosos e limpos. Mas eles dependem do sol e, como você sabe, ele não está disponível 100% do tempo: à noite e quando chove, não podemos contar com ele.

E mesmo quando o sol está disponível, sua intensidade muda ao longo do dia. Então, em alguns momentos, a luz que chega aos paineis solares não é suficiente para produzir toda a energia elétrica necessária.

Além disso, nos momentos de maior intensidade da luz solar, ocorre o inverso, ou seja, é gerada energia de sobra que, nesse caso, seria desperdiçada, o que também não é bom.

Antigamente, esse problema era resolvido com o uso de baterias, que armazenavam a energia produzida em excesso para ser usada nos momentos de ausência de luz solar. Mas aí tínhamos dois problemas.

Primeiro, baterias grandes o bastante para armazenar energia suficiente para abastecer uma casa são caras e não duram tanto quanto paineis fotovoltaicos, aumentando o custo do uso de sistemas solares.

Segundo, alguns dos elementos utilizados na fabricação das baterias são altamente tóxicos e não podem ser descartados diretamente no meio ambiente. Energia solar que usa baterias não é energia limpa.

Uma alternativa era utilizar sistemas híbridos, usando tanto a energia produzida pelos paineis solares quanto da rede pública. Quando houvesse sol, a energia produzida pelos paineis seriam utilizada. Quando não houvesse, seria usada energia da rede. Mas essa solução também tinha um problema.

A energia da rede pública não é gratuita. Ao usar sistemas híbridos, é possível conseguir uma redução considerável na conta de luz, mas ainda assim existem custos, e eles aumentam muito o tempo necessário para recuperar o investimento feito na instalação dos painéis fotovoltaicos.

Foi então que tiveram uma ideia genial:

E se os donos de sistemas de geração de energia solar pudessem vender a eletricidade produzida em excesso para as distribuidoras? Ao longo do dia, em vários momentos os painéis fotovoltaicos produzem energia em excesso, que não é utilizada. Essa eletricidade excedente pode ser emprestada pelas distribuidoras, para ser utilizada por outras pessoas.

No fim do mês, a energia emprestada para a distribuidora seria descontada da conta de luz, deixando-a bem mais barata.

Esse sistema é chamado de micro geração distribuída e é regulamentado pela Resolução Normativa 482/2012 da Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica.

Para você entender como funciona esse modelo, considere o diagrama abaixo.

Microgeração distribuída: como os sistemas solares permitem que você use energia da rede pública de graça

No sistema de micro geração distribuída, a energia solar excedente é enviada para a rede pública. Aqui, vemos uma casa que está ligada tanto a um conjunto de painéis solares quanto à rede pública de energia elétrica.

Cada fonte de energia possui seu próprio medidor e é conectada a um equipamento que regula o consumo. Quando há luz solar suficiente, ela é consumida. Quando há energia solar em excesso, ela é enviada para a rede pública. Quando não há luz solar suficiente, a eletricidade da rede pública é utilizada.

No fim do mês, é feita a leitura dos dois relógios e calculada a diferença entre a energia que foi consumida da rede pública e a que foi enviada para ela. A conta de luz será calculada com base nessa diferença.

No caso de a energia enviada para a rede pública ter sido maior do que a energia consumida, a diferença será convertida em créditos de energia para serem usados no futuro. Ou seja: você poderá usar energia da rede sem pagar.

Esses créditos podem ser utilizadas em até 36 meses e são cumulativos.

Então, na prática, se o seu sistema de geração de energia solar for bem dimensionado de maneira a produzir bastante eletricidade, você sempre vai enviar mais energia para a rede do que consumir, sua conta de luz virá sempre zerada e você só terá que pagar o valor mínimo.

Dispensando a necessidade de baterias e acabando com a conta de luz, o custo do uso de sistemas de geração de energia solar são reduzidos consideravelmente e o impacto ambiental é zero. Legal, né?

Então, não espere mais. Clique aqui e solicite o contato de um consultor da Smart Solar para saber tudo sobre como você pode ter seu próprio sistema de energia solar fotovoltaica e livre-se da conta de luz para sempre.

O texto acima "Microgeração distribuída: como os sistemas solares permitem que você use energia da rede pública de graça" é de direito reservado. Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor. Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. – Lei n° 9.610-98 sobre direitos autorais.